História da Ordem

 

A Ordem do Santíssimo Redentor tem como fonte principal as experiências místicas de sua fundadora a venerável Madre Maria Celeste Crostarosa. As revelações se deram no dia 25 de abril de 1725 num mosteiro de Scala na Itália, a partir dessas revelações a venerável escreveu as regras e recebeu o titulo de fundadora do novo instituto.  Deve como pessoas importantes na fundação o  bispo Dom Thomas Falcoia e Santo Afonso.

No mês de setembro do ano 1730, após minuciosa avaliação das regras e imbuído do Espirito Santo, o fundador da Congregação dos Missionários Redentoristas reconhece a revelação como verdadeira orienta a comunidade a aceitar as novas regras. E no dia 13 de maio de 1731, solenidade de pentecostes, sob as bênçãos do céu e após mudanças nas regras por Thomas Falcoia se dá origem a Ordem.

Obrigada a deixar o mosteiro de Scala madre Celeste funda em Foggia, Itália o Mosteiro do Santíssimo Salvador que seguiria as regras primitivas. Esse foi a primeira fundação da Ordem, mesmo em meios conturbados. No ano de 1749 recebe a aprovação eclesiástica de Bento 14, o instituto dos padres e irmãos Redentoristas (sendo esse fundado um ano após as irmãs) tendo que trocar de nome por já ter existência um instituto do Santíssimo Salvador, um ano após aprovação dos missionários as irmãs recebem sua aprovação e seu novo nome.

 Após a eleição de Santo Afonso como bispo de Sant’ Agata dei Goti, ele faz o convite para as irmãs fazerem uma fundação em sua diocese em 1766. Com a ajuda do missionário Redentorista padre Joseph Passerat, vigário-geral dos transalpinos se dá a fundação do primeiro mosteiro fora da Itália em Viena no ano de 1831. Depois dessa fundação a Ordem teve um grande crescimento em numero fazendo fundações na Europa (Belgica, 1841; Holanda, 1848; Irlanda, 1859; França, 1875 e Inglaterra, 1879). No século XX, houve a revisão das regras conforme o Código de Direito Canônico, tendo aprovação no dia 31 de janeiro de 1931. Nesse século expande-se para a Espanha (1904), Canadá (1905), Brasil (1921), Alemanha (1934).

Na segunda metade do século XX, se tem novas fundações como na Argentina e no Japão (1949), nos Estados Unidos (1957), Burkina Faso (1963), Austrália (1965), Venezuela e Peru (1976) e nas Filipinas (1980). Com o concilio Vaticano II, foi realizada uma revisão nas regras com aprovação definitiva em 06 de março de 1985.  No final desse século embora com poucas vocações, surgem novos mosteiros com esperanças renovadas para o futuro, a saber, na Colômbia (1987), Polônia (1989), África do Sul (1991) e México (1992). Do ano 2000 até os dias de hoje ocorreram três novas fundações, uma no Cazaquistão (2001), na Eslováquia (2007) e uma mais recente na Tailândia (2011). Agora existe o desejo de duas novas fundações: Vietnã e Ucrânia.

Segundo a ultima estatística houve uma queda no numero de irmãs (em 40 mosteiros existem 432 irmãs professas). Mas ainda existe a esperança de manter vivo o Carisma de Maria Celeste com as novas vocações, principalmente da África e Ásia.