Últimas Notícias

Últimas Notícias (144)

Sábado, 12 Julho 2014 13:02

Aprovação para o noviciado

Escrito por

    No dia 11 de julho de 2014 ano Domini, festa de São Bento, padroeira da Europa e pai dos monges do ocidente, a jovem postulante Magdalena foi aprovada para ingressar no noviciado que se dará no dia 26 de agosto de 2014 na festa de Nossa Senhora de Czestochowa Rainha da Polônia! Há quase um ano atrás postamos a noticia  do ingresso de Magdalena (acesse: http://ossr.com.br/teste/item/142-nova-postulante-na-pol%C3%B4nia)

 

                          

Quarta, 09 Julho 2014 21:51

Nossas formandas

Escrito por

Aqui estão nossas formandas!

Quarta, 09 Julho 2014 13:38

Profissão solene de irmã Maria

Escrito por

Damos graças a Deus por um  dia tão bonito! Todos nós compartilhamos e testemunhamos os votos solenes da irmã Maria, que por meio dos votos a Deus tornou-se membro de pleno direito da família Redentorista. Participaram os famíliares de irmã Maria, amigos Redentoristas da Eslováquia, República Checa, Irlanda e Inglaterra além de nossos amigos de nosso mosteiro. Padre Michael Kelleher, C.Ss.R., provincial dos redentoristas na Irlanda foi o presidente da celebração, Pe. Derek Ryan, C.Ss.R. foi mestre de Cerimônias e o bispo James Moriarty tambem participou da celebração. A priora do mosteiro de Santo Afonso, irmã Gabrielle Fox, recebeu os votos da Ir. Maria e testemunhou a assinatura da fórmula da Profissão. Parabéns Ir. Maria!

Para assistir: http://www.churchservices.tv/redemptoristines/recorded/hsOYSLH

 

Terça, 08 Julho 2014 14:27

Tomando novos rumos!

Escrito por

   As irmãs Redentoristas do mosteiro de Santa Ana em Ried celebrou um acordo com a congregação das irmãs Missionárias da Rainha dos Apóstolos. Em uma reunião entre o conselho das monjas Redentoristas e a geral e o conselho provincial da congregação das irmãs missiónarias da Rainha dos apóstolos no final de junho. Desde meados de agosto, as irmãs contemplativas resolveram aposentar uma parte do complexo do mosteiro cedendo as outras irmãs para fins pastorais.

   Uma parte do mosteiro foi adaptada para as irmãs missionárias, uma sala, uma cozinha e capela. Três irmãs chegam no começo do verão e portanto estabelecem assim uma nova comunidade no país.

   P. Lorenz Voith: "Esta colaboração entre a comunidade pastoral contemplativa e ativa é um marco na Áustria A áreas cada vez próprios estão claramente definidos sucesso Vamos acompanhar o experimento Que o Espírito Santo, união, é uma ajuda para os Redentoristas ..! que já não estavam em condições, devido à idade e ao número pequeno, para gerenciar uma grande área do mosteiro de St. Anna. Uma agradecimentos vão também para as Irmãs Missionárias de Viena, que disseram um sonoro SIM a esta forma de cooperação. "

 

Vista aérea do mosteiro

 

 

 

 

mais informações:http://www.redemptoristen.com/index.php?id=103&tx_ttnews%5Btt_news%5D=1339&cHash=d0a1bd7a8091af7dc345742941e4b73f

Sábado, 17 Maio 2014 02:42

Encontro da família Redentorista!

Escrito por

   Nos ultimos dias 8,9 e 10 de maio, reuniram-se na cidade santa da mãe Aparecida cerca de 30 religiosos de diversas congregações que bebem da espírituatlidade Redentorista. Nesses dias de encontro e fraternidade o grupo composto pelas congregações: Redentoristas, Monjas Redentoristas, Mensageiras do amor divino, Oblatas do Santíssimo Redentor, Copiosa  Redenção, Filhas de nossa Senhora de Fatima, Missionárias da Redenção e pela primeira vez com a participação do ramo masculino da Copiosa-Servos da Misericórdia da Copiosa Redenção para refletirem sobre o tema, Ano vocacional Redentorista e sobre Redenção.

   Irmã Kátia Regina Segateli, superiora geral das Irmãs Mensageiras do Amor Divino, destacou a importância desse encontro para a partilha sobre a espiritualidade e o carisma que os une. “Somos congregações fundadas por redentoristas e que vivem a espiritualidade redentorista, aqui nesse encontro somos oito congregações. É um momento novo da Igreja, da partilha de carismas diferentes vivendo a mesma espiritualidade”, disse.

   Irmã Kátia lembrou que o encontro surgiu depois do apelo do Superior Geral da Congregação do Santíssimo Redentor, padre Michael Brehl, em carta dirigida aos diversos institutos e, motivado no Brasil, pelo padre Victor Hugo Silveira Lapenta e pela irmã Maria Inês Ribeiro.

  Nos encontro anteriores foram tratados temas ligados à Espiritualidade Redentorista, a missão dos Institutos Afiliados e a vida e a espiritualidade da Madre Maria Celeste Crostarosa (fundadora das Monjas Redentoristas).

 

 

 

Irmã MarliIrmã Marli Fonseca das Monjas Redentoristas

“Foi muito importante falar sobre a Redenção, em como Jesus nos libertou se doando para nós e nos libertando dos nossos pecados. Também acho muito importante esse encontro como um 'resgate'. Porque nós Monjas Redentoristas somos pouco conhecidas no Brasil e no mundo, então esse encontro favorece para que nos tornemos mais conhecidas e para resgatar essa ordem religiosa que foi fundada antes mesmo dos Padres Redentoristas e, por isso, me senti honrada em participar desse encontro”.  

 

 

 

 

 

Texto adaptado do a12.com

 

 

 

Segunda, 12 Maio 2014 13:24

“Vocações, testemunho da verdade”

Escrito por

Este é o tema da mensagem do papa Francisco para o Dia de Oração pelas Vocações, celebrado no dia 11 de maio, em todo o mundo.

No texto, o Papa diz que "toda a vocação exige sempre um êxodo de si mesmo para centrar a própria existência em Cristo e no seu Evangelho". Segundo Francisco, "quer na vida conjugal, quer nas formas de consagração religiosa, quer ainda na vida sacerdotal, é necessário superar os modos de pensar e de agir que não estão conformes com a vontade de Deus".

Segue, na íntegra, a mensagem:

Mensagem para o Dia Mundial de Oração pelas Vocações

“Vocações, testemunho da verdade”

Amados irmãos e irmãs! 1. Narra o Evangelho que «Jesus percorria as cidades e as aldeias (...). Contemplando a multidão, encheu-Se de compaixão por ela, pois estava cansada e abatida, como ovelhas sem pastor. Disse, então, aos seus discípulos: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, portanto, ao Senhor da messe para que envie trabalhadores para a sua messe”» (Mt 9, 35-38).

Estas palavras causam-nos surpresa, porque todos sabemos que, primeiro, é preciso lavrar, semear e cultivar, para depois, no tempo devido, se poder ceifar uma messe grande. Jesus, ao invés, afirma que «a messe é grande». Quem trabalhou para que houvesse tal resultado? A resposta é uma só: Deus. Evidentemente, o campo de que fala Jesus é a humanidade, somos nós. E a ação eficaz, que é causa de «muito fruto», deve-se à graça de Deus, à comunhão com Ele (cf. Jo 15, 5).

Assim a oração, que Jesus pede à Igreja, relaciona-se com o pedido de aumentar o número daqueles que estão ao serviço do seu Reino. São Paulo, que foi um destes «colaboradores de Deus», trabalhou incansavelmente pela causa do Evangelho e da Igreja. Com a consciência de quem experimentou, pessoalmente, como a vontade salvífica de Deus é imperscrutável e como a iniciativa da graça está na origem de toda a vocação, o Apóstolo recorda aos cristãos de Corinto: «Vós sois o seu [de Deus] terreno de cultivo» (1 Cor 3, 9).

Por isso, do íntimo do nosso coração, brota, primeiro, a admiração por uma messe grande que só Deus pode conceder; depois, a gratidão por um amor que sempre nos precede; e, por fim, a adoração pela obra realizada por Ele, que requer a nossa livre adesão para agir com Ele e por Ele. 2. Muitas vezes rezamos estas palavras do Salmista: «O Senhor é Deus; foi Ele quem nos criou e nós pertencemos-Lhe, somos o seu povo e as ovelhas do seu rebanho» (Sal 100/99, 3); ou então: «O Senhor escolheu para Si Jacob, e Israel, para seu domínio preferido» (Sal 135/134, 4).

Nós somos «domínio» de Deus, não no sentido duma posse que torna escravos, mas dum vínculo forte que nos une a Deus e entre nós, segundo um pacto de aliança que permanece para sempre, «porque o seu amor é eterno!» (Sal 136/135, 1). Por exemplo, na narração da vocação do profeta Jeremias, Deus recorda que Ele vigia continuamente sobre a sua Palavra para que se cumpra em nós. A imagem adotada é a do ramo da amendoeira, que é a primeira de todas as árvores a florescer, anunciando o renascimento da vida na Primavera (cf. Jr 1, 11-12).

Tudo provém d’Ele e é dádiva sua: o mundo, a vida, a morte, o presente, o futuro, mas – tranquiliza-nos o Apóstolo - «vós sois de Cristo e Cristo é de Deus» (1 Cor 3, 23). Aqui temos explicada a modalidade de pertença a Deus: através da relação única e pessoal com Jesus, que o Batismo nos conferiu desde o início do nosso renascimento para a vida nova. Por conseguinte, é Cristo que nos interpela continuamente com a sua Palavra, pedindo para termos confiança n’Ele, amando-O «com todo o coração, com todo o entendimento, com todas as forças» (Mc 12, 33).

Embora na pluralidade das estradas, toda a vocação exige sempre um êxodo de si mesmo para centrar a própria existência em Cristo e no seu Evangelho. Quer na vida conjugal, quer nas formas de consagração religiosa, quer ainda na vida sacerdotal, é necessário superar os modos de pensar e de agir que não estão conformes com a vontade de Deus. É «um êxodo que nos leva por um caminho de adoração ao Senhor e de serviço a Ele nos irmãos e nas irmãs» (Discurso à União Internacional das Superioras Gerais, 8 de maio de 2013).

Por isso, todos somos chamados a adorar Cristo no íntimo dos nossos corações (cf. 1 Ped 3, 15), para nos deixarmos alcançar pelo impulso da graça contido na semente da Palavra, que deve crescer em nós e transformar-se em serviço concreto ao próximo.

Não devemos ter medo: Deus acompanha, com paixão e perícia, a obra saída das suas mãos, em cada estação da vida. Ele nunca nos abandona! Tem a peito a realização do seu projeto sobre nós, mas pretende consegui-lo contando com a nossa adesão e a nossa colaboração. 3.Também hoje Jesus vive e caminha nas nossas realidades da vida ordinária, para Se aproximar de todos, a começar pelos últimos, e nos curar das nossas enfermidades e doenças.

Dirijo-me agora àqueles que estão dispostos justamente a pôr-se à escuta da voz de Cristo, que ressoa na Igreja, para compreenderem qual possa ser a sua vocação. Convido-vos a ouvir e seguir Jesus, a deixar-vos transformar interiormente pelas suas palavras que «são espírito e são vida» (Jo 6, 63).

Maria, Mãe de Jesus e nossa, repete também a nós: «Fazei o que Ele vos disser!» (Jo 2, 5). Far-vos-á bem participar, confiadamente, num caminho comunitário que saiba despertar em vós e ao vosso redor as melhores energias. A vocação é um fruto que amadurece no terreno bem cultivado do amor uns aos outros que se faz serviço recíproco, no contexto duma vida eclesial autêntica. Nenhuma vocação nasce por si, nem vive para si. A vocação brota do coração de Deus e germina na terra boa do povo fiel, na experiência do amor fraterno.

Porventura não disse Jesus que «por isto é que todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros» (Jo 13, 35)? 4. Amados irmãos e irmãs, viver esta «medida alta da vida cristã ordinária» (João Paulo II, Carta ap. Novo millennio ineunte, 31) significa, por vezes, ir contra a corrente e implica encontrar também obstáculos, fora e dentro de nós.

O próprio Jesus nos adverte: muitas vezes a boa semente da Palavra de Deus é roubada pelo Maligno, bloqueada pelas tribulações, sufocada por preocupações e seduções mundanas (cf. Mt 13, 19-22). Todas estas dificuldades poder-nos-iam desanimar, fazendo-nos optar por caminhos aparentemente mais cômodos.

Mas a verdadeira alegria dos chamados consiste em crer e experimentar que o Senhor é fiel e, com Ele, podemos caminhar, ser discípulos e testemunhas do amor de Deus, abrir o coração a grandes ideais, a coisas grandes. «Nós, cristãos, não somos escolhidos pelo Senhor para coisas pequenas; ide sempre mais além, rumo às coisas grandes. Jogai a vida por grandes ideais!» (Homilia na Missa para os crismandos, 28 de Abril de 2013).

A vós, Bispos, sacerdotes, religiosos, comunidades e famílias cristãs, peço que orienteis a pastoral vocacional nesta direção, acompanhando os jovens por percursos de santidade que, sendo pessoais, «exigem uma verdadeira e própria pedagogia da santidade, capaz de se adaptar ao ritmo dos indivíduos; deverá integrar as riquezas da proposta lançada a todos com as formas tradicionais de ajuda pessoal e de grupo e as formas mais recentes oferecidas pelas associações e movimentos reconhecidos pela Igreja» (João Paulo II, Carta ap. Novo millennio ineunte, 31).

Disponhamos, pois, o nosso coração para que seja «boa terra» a fim de ouvir, acolher e viver a Palavra e, assim, dar fruto. Quanto mais soubermos unir-nos a Jesus pela oração, a Sagrada Escritura, a Eucaristia, os Sacramentos celebrados e vividos na Igreja, pela fraternidade vivida, tanto mais há de crescer em nós a alegria de colaborar com Deus no serviço do Reino de misericórdia e verdade, de justiça e paz.

E a colheita será grande, proporcional à graça que tivermos sabido, com docilidade, acolher em nós. Com estes votos e pedindo-vos que rezeis por mim, de coração concedo a todos a minha Bênção Apostólica.

Vaticano, 15 de Janeiro de 2014

Francisco

Sábado, 10 Maio 2014 22:16

Feliz dia das Mães!

Escrito por

Fizemos esse singelo cartal para todas as mães de nosso Brasil, lembramos também de todas aquelas que se tornaram mãe das almas na Vida Consagrada!

 

Segunda, 28 Abril 2014 01:50

Nova Postulante!

Escrito por

No ultimo dia 25 de abril de 1725 nossa mãe fundadora à venerável Maria Celeste Crostarosa recebeu a revelação da regra da ordem do Santíssimo Redentor...nessa data comemorativa em Santa Agata de' Goti no mosteiro do Santíssimo Redentor (fundado por Santo Afonso em sua diocese), a jovem Dagmar, dará um passo em sua vida ingressando como postulante em nossa ordem. Ela começará sua formação em vista de se preparar espiritualmente e intelectualmente para a sua entrega por meio da emissão dos votos religiosos, tornando-se assim uma Viva Memória de Jesus Redentor. Aqui nos Brasil também nos alegramos com o ingresso de duas mulheres na experiencia dentro da Clausura, o período da experiência será de três meses, uma retornará para a casa e vendo que ali é seu lugar poderá ingressar no postulantado! A segunda trata-se de uma viuva que em um certo período havia sido postulante, rezemos por elas!

 

 

 

Quinta, 24 Abril 2014 14:08

4 conselhos para discernir sua vocação.

Escrito por

1º Conselho – Oração

A oração é elemento essencial de uma vocação. Para bem discernir é preciso também dedicação à vida de oração e encontro com Jesus. Oração é o exercício da alma que busca a Deus. Pedir ao Senhor as luzes do seu Divino Consolador para que possamos ser iluminados no discernimento da nossa vocação. Vale mais dedicar-se em oração do que mil obras nessa terra. Tire tempo para rezar. Tenha práticas de devoção Mariana como à reza do Santo Rosário. Faça momentos de adoração e participe da Santa Missa sempre que puder. Não pare naquilo que é dever, vá além do que lhe é pedido. A oração é como a lanterna nos mostrando o caminho. Sejamos homens de oração

2º Conselho – Vida Comunitária

Um elemento importante para a Vocação está presente na vida comunitária. Aquele que almeja uma vocação deve estar presente e ser participante da vida comunitária, de maneira que possa viver a fraternidade e o dom do outro, que é a imagem de Cristo. É preciso uma vivência comunitária para poder estar apto a missão e ao acolhimento. Essa vivência deve ser ainda mais especial para aqueles que buscam uma especial consagração ao Senhor. O vocacionado deve estar atento para viver em comunidade na busca do diálogo, da partilha, do perdão e da caridade. Contudo, isso não está somente válido para as vocações de especial consagração, também os que almejam o matrimônio devem estar preparados a viver a vida de comunidade como momento de especial predileção para a partilha e a prática das virtudes.

3º Conselho – Direção espiritual.

Os bons amigos procuram sempre o nosso bem e nos encher das mais intensas alegrias que vem de Deus. O que dizer então do amigo de nossa alma? O diretor espiritual é o amigo que nos ajuda na busca da Santidade de vida. A Direção espiritual é também um forte impulso para aqueles que buscam uma vocação. O diretor espiritual é aquele que nos ajuda a amadurecer na fé e na experiência do encontro com Cristo. Procure um diretor espiritual que seja de sua confiança e que conduza você aos caminhos da santidade de vida. Não tenha reservas com ele, diga todos os seus anseios, medos alegrias e dúvidas. São Josemaría Escrivá dizia que: “Quem oculta ao seu Diretor uma tentação, tem um segredo a meias com o demônio. – Fez-se amigo do inimigo”. A sinceridade e a busca da verdade são elementos indispensáveis para sermos bons dirigidos.

4º Conselho – Escutar outros vocacionados.

Converse com vocacionados que já estão mais maduros em sua caminhada vocacional: bispo, padres, seminaristas. Etc. Escute suas histórias e suas expectativas. Ouvir outros vocacionados é uma maneira de também responder a muitos questionamentos, medos e anseios que estão em nosso coração. Pergunte! Faça questionamentos para estes irmãos e procure saber mais sobre os lugares de formação e a vida de cada comunidade que você almeja ser participante. “Ir, escutar e incendiar o coração”.

 

 

fonte: vocacional diocese de formosa

 

Segunda, 21 Abril 2014 16:36

Feliz a Páscoa!

Escrito por
Pagina 6 de 11